Telefones: 3325-3022 / 2432-8351

Dicas de saúde

Cinco formas de se prevenir da cistite

A cistite é uma infecção do trato urinário, geralmente desencadeada por uma bactéria que habita a flora intestinal. A anatomia feminina facilita a sua ocorrência, por isso é um problema comum entre as mulheres. O público feminino costuma se tornar ainda mais vulnerável durante a gravidez e a menopausa, devido a alterações hormonais e funcionais.

Veja como é possível se prevenir com cuidados simples:

  1. Esvazie a bexiga assim que sentir vontade de urinar, não segure a urina por muito tempo.
  2. Limpe-se no sentido de frente para a trás, para evitar que bactérias da região anal passem para a vagina e uretra. A higiene adequada é muito importante.
  3. Beba bastante líquido, em média, dois litros de água por dia.
  4. Evite produtos para a área genital, como desodorantes, por exemplo. Eles modificam o ph local que protege a região, podendo causar irritação.
  5. Procure urinar logo após a relação sexual, a fim de eliminar bactérias, dificultando a sua propagação para a bexiga.

Vacine-se!

Vacinação de Influenza

A temporada de gripe é caracterizada pela prevalência de surtos de influenza e geralmente leva 3 semanas para alcançar o pico e outras 3 semanas para diminuir significantemente. A influenza é muito mais do que um incômodo. É uma doença séria que mata 300.000 a 500.000 pessoas todo ano globalmente. A vacinação diminui os efeitos e complicações da temporada de gripe. Mulheres grávidas, crianças pequenas, idosos com saúde enfraquecida e qualquer pessoa com uma condição crônica, como asma ou doença cardíaca, têm risco elevado de infecção severa e morte.

Ácaros e controle ambiental

ÁcaroAfinal, quem são os ácaros?

Os ácaros são minúsculos aracnídeos que produzem bolotas fecais altamente alergênicas, tonando-os os principais alérgenos intradomiciliares.
Eles se alimentam de restos de pele de humanos e animais, e gostam de viver em ambientes quentes e úmidos, por isso ficam alojados principalmente nas camas, sofás, carpetes e pisos. Uma cama de casal possui cerca de 2 milhões deles!

Além dos ácaros, outros alérgenos também podem ser responsáveis pelas alergias respiratórias: fungos, baratas, pólen e animais domésticos como cão e gato (através da descamação da pele e secreções).

Por isso, é fundamental para todo paciente alérgico a realização do que chamamos de controle ambiental, ou seja, a limpeza do ambiente para minimizar a concentração de alérgenos.

Medidas de controle ambiental:

  • limpeza de pisos com pano úmido ou aspirador de pó com filtro HEPA. Nunca passar vassoura!
  • retirar carpetes, tapetes, cortinas de tecido e papéis de parede
  • evitar o acúmulo de livros, bichos e pelúcia, bibelôs e outros objetos no quarto
  • usar capas protetoras em colchões e travesseiros
  • trocar as roupas de cama pelo menos 1 vez por semana e lavá-las com água quente
  • evitar que os animais domésticos entrem no quarto
  • manter a casa arejada e com exposição ao sol
  • não comer na cama ou sofá
  • dedetização para baratas

Além disso, é fundamental evitar a exposição a irritantes primários, como fumaça de cigarro e cheiros fortes.

Candidíase

A principal causa de coceira e corrimento vaginal é a Candida albicans, fungo que normalmente existe na pele e no trato digestivo e é geralmente inofensivo.

Alguns fatores como calor, umidade e baixa na imunidade podem causar a doença.

A má alimentação também contribui de maneira significativa na candidíase recorrente o principal vilão é o açúcar, ele altera o pH da vagina favorecendo a proliferação dos fungos.

Durante o período pré menstrual há uma certa compulsão por doces, favorecendo o aumento da candidíase neste período.

O açúcar não é o único vilão, outros carboidratos refinados como o macarrão, os pães e o arroz refinado também favorecem o aparecimento da candidíase, elevando a taxa de açúcar devido ao seu metabolismo rápido.

O excesso das frutas com muita frutose como a manga, caqui e uva também podem levar ao aparecimento da candidíase.

Deve-se dar preferência a frutas com baixo índice glicêmico como a maçã, pera e morango.

O alho, cebola, alecrim, tomilho e os lactobacilos reorganizam a flora intestinal e têm uma ação antifúngica.

Como forma de tratamento além dos cremes antifúngicos, podemos utilizar as vacinas após uma análise feita pelo imunologista.

 

Dr Paulo Amaral – Ginecologia e Obstetrícia